Como sustentar sua família quando estiver desempregado

Com a nossa economia incerta, muitas pessoas se preocupam com a possibilidade de perder o emprego. Embora o desemprego possa ser uma experiência difícil e desgastante, há passos que uma pessoa pode seguir para assegurar segurança financeira a sua família, até encontrar um novo trabalho.

  • Avalie a situação. Embora seja certo que a perda de um emprego é um golpe emocional, é importante agir com rapidez para minimizar os danos. Sentar-se e fazer uma lista das despesas correntes e ativos (poupança, outros ingressos financeiros além do emprego que não existe mais) pode ajudá-lo a obter uma fotografia de onde você está financeiramente. Além disso, tomar medidas pode ajudar a aliviar um pouco da ansiedade associada ao desemprego inesperado.
  • Inscreva-se para receber benefícios. Em muitos casos, as pessoas que perdem o emprego podem requerer alguns benefícios, e é importante que o façam o mais rapidamente possível, a fim de trazer algum dinheiro para o lar sem muita demora. Dois exemplos típicos são o Fundo de Garantia, e o Seguro Desemprego. Verifique se o seu cartão de crédito ou contrato de financiamento da casa própria não prevêem algum tipo de auxílio, para o caso de você perder seu emprego. O financiamento de sua casa certamente tem alguma cláusula que suspende temporariamente o pagamento das prestações neste caso; é uma despesa e uma preocupação a menos para você. Se você ou algum de seus filhos está na faculdade, provavelmente o contrato tem um seguro para o caso de a pessoa responsável pelas mensalidades encontrar-se desempregada (pode acontecer, e é exatamente por isto que a universidade ofereceu o seguro). Informe-se no serviço social da prefeitura de sua cidade, sobre vale-gás, vale-leite, entre outros.
  • Corte os extras. A maioria das famílias pode reduzir o orçamento se realmente precisar e, embora possa ser um pouco doloroso abrir mão deles, os pequenos extras podem realmente fazer a diferença. Televisão a cabo, refeições fora de casa, assinaturas de revistas e confeitaria são agradáveis, mas quando o dinheiro está curto podem todos ser colocados em espera. Mesmo coisas como desligar as luzes quando sair de um recinto e planejar itinerários para reduzir o consumo de gasolina podem ajudar - e são ecologicamente ótimas escolhas, também.
  • Contate os credores. Se você sabe que terá dificuldades em pagar suas contas, é aconselhável contatar seus credores antes de atrasar os pagamentos. Muitos estão dispostos a ajustar o seu calendário de pagamentos, o que pode tornar possível cumprir com as suas obrigações e não causar dano ao seu crédito na praça.
  • Considere fazer cursos. Quando os tempos são difíceis, a concorrência pelos bons empregos se torna feroz, por isso é importante manter as suas competências atualizadas. Pode ser necessário fazer algum curso, para colocar-se na melhor posição possível quando procurar um novo emprego. Informe-se sobre programas gratuitos de qualificação e atualização profissional em sua cidade. Muitas vezes o governo do estado, a prefeitura, o SEBRAE ou alguma ONG oferecem cursos e treinamentos, que podem inclusive fornecer passagem e alimentação. Negocie com a sua empresa algum treinamento como parte do seu “pacote de demissão”, mesmo se a sua saída já ocorreu há algum tempo. Talvez a empresa possa disponibilizar para você algum de seus próprios cursos internos, ou considere que apoiá-lo neste momento difícil será bom para a imagem institucional; tente.
  • Peça ajuda. Se um amigo ou membro da família estivesse passando por dificuldades você os ajudaria, certo? Com toda a probabilidade há pessoas na sua vida que se sentem dessa forma, também. Embora possa parecer difícil pedir ajuda, muitas vezes os tempos difíceis fazem surgir o melhor nas pessoas se lhes for dada a oportunidade de dar uma mão. Talvez esta seja uma experiência muito positiva que você, e a outra pessoa também, levará para o resto de sua vida.
  • Faça você mesmo. A maioria de nós paga outras pessoas para fazer coisas que poderíamos fazer, ou compramos objetos novos quando poderíamos consertar. Embora não haja problema algum nisto quando podemos arcar com estas despesas, estes gastos não se justificam quando estamos contando centavos. Cuidar do próprio jardim para cortar despesas no supermercado, consertar jeans para usá-los por mais tempo, e aproveitar as sobras dos alimentos, tudo isto pode ajudar a esticar o dinheiro da uma família.
  • Troque favores. Mesmo os mais talentosos entre nós não podem fazer tudo sozinhos. Às vezes, porém, não temos o dinheiro para os bens e serviços que precisamos. Mas, negociando a cooperação com amigos e entes queridos, todos podem ter o que precisam sem estourar o orçamento. Por exemplo, você pode oferecer para cuidar do filho de um amigo para ele poder sair por uma noite, e em troca ele pode cuidar dos seus filhos para você comparecer a entrevistas. Ou você pode conseguir que um amigo seu, entendido em mecânica de carros, faça alguns consertos em seu carro, em troca de você consertar o encanamento da casa dele. Nestas duas situações, todos são beneficiados sem gastos financeiros.
  • Rede, rede, rede. É claro que você espera substituir seu trabalho o mais rapidamente possível, mas isso não é sempre fácil de fazer em tempos de economia difícil. A rede pode ajudar. Diga a todos - amigos, familiares e colegas, que está à procura de trabalho. Sua próxima oportunidade pode estar logo depois da esquina!