Como fazer um orçamento

Você é daqueles que sempre tem mais dias no fim do mês do que dinheiro? Você sabe para onde vai tudo, mas não tem certeza sobre como monitorar todas as "coisas" que você paga? Gostaria de saber como manter em dia o que você gastou no ano passado, com o dentista? Então é possível que você precise fazer um orçamento! Aqui estão algumas perguntas que eu sempre obtenho das pessoas que aconselho.

  • Para onde é que vai tudo isso? Muita gente que encontro todos os dias me faz a mesma pergunta: "para onde é que vai tudo isso”? Inevitavelmente, eles me contam como trabalham duro, e como não podem aproveitar mais a vida, porque estão “quebrados” o tempo todo. Após fazer-lhes algumas perguntas, a questão surge de algumas coisas que são controláveis, e muito fáceis de corrigir. Se você trabalha por conta própria (como o meu irmão), então eu sei como é difícil se manter em dia com o que você gasta. Ele é um pequeno empresário, vive basicamente no carro, e ao final do dia não sabe dizer o quanto e onde gastou seu dinheiro. Encontrei em seu carro, notas de compra, sacolas e embalagens. Ele realmente faz mais do que eu faço, mas parece que não consegue pagar todas as suas contas do mês. Isso lhe é familiar? Para onde é que foi tudo isso? Então leia sobre isso, porque você definitivamente precisa de um orçamento!
  • Como posso manter mais do meu dinheiro? O propósito de um orçamento é ajudar você, e não os banqueiros e o governo, a manter mais do dinheiro difícil que ganhou.. Depois de saber para onde está indo o seu dinheiro, então, você pode começar a ter controle de para onde ele vai. Tudo bem... Você, e mais ninguém.
  • Será que um orçamento realmente funciona? Recebo esta pergunta porque muitas pessoas são céticas em relação à eficácia de um orçamento. Honestamente, a maioria das pessoas pensa que ele não funcionará, e isso é triste, porque se as pessoas soubessem como ele é fácil, iriam começar cedo sua viagem rumo a um maior controle, e muito menos problemas nas suas vidas. Se um orçamento parece bom para você, então siga estes passos fáceis para começar um orçamento e retomar o controle da sua vida. Eu prometo que estes passos não tomam tempo, e são grátis. Então, o que você está esperando?
  • Você DEVE tomar a decisão de tentar fazer um orçamento. Parece fácil, mas na verdade este é o passo mais difícil! A maioria das pessoas quer desesperadamente um orçamento, mas protelam. Não porque é difícil, note bem, mas porque isso envolve mudanças de pequenos hábitos diários, alguns dos quais vocês pode não reconhecer. Estes hábitos não começaram da noite para o dia e podem demorar um pouco para mudar. Aqueles que estão dispostos a tomar uma decisão consciente, de fazer um orçamento realista, são aqueles que eventualmente terão mais dinheiro com o mesmo rendimento, e muito menos stress financeiro (o que significa que apreciarão ainda mais o que tem). A escolha é sua.
Você deve desenvolver o importante hábito de fazer um orçamento, mudando o hábito de rejeitá-lo, pondo em mente que o fará. E, a não ser que você tenha posto em mente que irá fazer um orçamento, mesmo que só por uma semana, não leia nada. O que você quer - liberdade financeira ou a frustração que sente agora? Afinal, é o seu dinheiro, certo?
  • Guarde todas as notas fiscais (até mesmo os menores). A maioria das pessoas, que eu vejo em postos de gasolina, raramente pede a nota fiscal. Será que você guarda a nota fiscal?  Esta é a única maneira de saber quanto você gastou, e onde. Implica mudar hábitos que se arrastam há muitos anos. Mudar o hábito de não ter uma nota fiscal da loja de conveniência, ou dos gastos com creme de barbear no Wal-Mart, é a etapa-chave depois da consciente decisão de fazer um orçamento.
As pessoas dizem que não precisam de notas fiscais de chocolates, e isto está errado. É o pessoal que está frustrado com as finanças que me diz isso. Deixe-me dar um exemplo de que isso é muito importante: se você gasta 85 centavos de café e 75 centavos de soda, seis dias por semana, em um mês você terá consumido 38,40! Isso, meu amigo, é um botijão de gás, mesmo aos preços de hoje. Agora me diga se não pedir notas fiscais fará sua vida melhor? Acho que não!
  • Coloque as notas fiscais em um mesmo local. Pode ser uma pasta de arquivos, caixa de plástico, gaveta, ou o que quer que você goste de usar. Onde quer que seja, mantenha todas as notas ali. Isso significa que você deve desenvolver o hábito de esvaziar os bolsos, o carro, a bolsa, carteira, o que for. Guarde todas as notas fiscais, mas em conjunto. Se você perder uma, logo em seguida, escreva em um pedaço de papel o que foi comprado e a quantia aproximada, e coloque com as outras notas fiscais. É normal sentir a falta de algumas no começo, portanto não desanime. Lembre-se da meta - descobrir para onde o dinheiro foi através de um orçamento, por um registro de notas fiscais.
Repare que eu não disse que você tem de comprar livros, ou software, ou um DVD. Você não precisa de nenhuma dessas coisas. Se alguém o disser, há a hipótese de que estão tentando lhe levar mais dinheiro, e não ajudá-lo a gerir essa situação. Este procedimento é simples, mas mudar o hábito de fazer isso é a parte mais difícil. Lembra do passo 1? Você deve ter afinco em permanecer neste curso.
  • A revisão semanal. É onde está o ouro. Muita gente me diz que tem um resumo da última semana "em sua cabeça", a que eu respondo: "Isso é bom para esta semana, mas e para 3 semanas atrás? Você tem algum consumo incomum? Compare 3 semanas atrás e hoje ". Evidentemente, eles não poderão comparar.
Ao final da semana, sente-se à mesa da cozinha. Leve as notas fiscais e prenda-as com um clip de acordo com a forma que VOCÊ sinta que seja desejável. Eu faço isto dividindo por “pessoais, domésticas e incomuns”, pois é assim que eu gosto de ver as coisas. Você pode fazê-lo da maneira que você desejar. Em seguida, anote os totais em um papel, e anexe às notas fiscais.

Fazer isso por uma semana pode não dizer o que você quer, mas à medida que você compara cada semana sucessiva, você começará a ver os padrões de consumo que poderia não ter tido conhecimento, ou ver padrões de consumo que custam mais do que você pensou. Os montantes agora dizem como você deve mudar seus gastos habituais, para que o seu dinheiro trabalhe mais para você e não contra você. Você agora já sabe que os cartões de crédito estão tomando todo o seu dinheiro, e assim pode parar de usá-los; ou que o carro, a cada mês, está custando mais do que o pagamento de um carro novo.

Já que alguns padrões de consumo demoram tempo para corrigir, pelo menos com o seu orçamento, você pode se encarregar da sua vida, se tiver um plano para gerenciar. Isto somente tem dado a muitos dos meus clientes uma boa noite de sono, que eles nunca mais haviam tido. Ainda não houve uma pessoa que viesse até mim e falasse que o orçamento não organizou suas idéias, ou não ajudou a obter controle sobre suas despesas.

Você já sabe como fazer um orçamento básico, por isso, permita-me lhe dar alguns conselhos práticos. Um orçamento é uma ferramenta, e não a solução de um problema. Você ainda é responsável por mudar os maus hábitos de consumo, que o orçamento lhe apresentará. Isto é mais difícil do que você pensa, porque os seus hábitos de consumo podem ter se desenvolvido ao longo do tempo, e não é algo fácil de apagar. Mais uma vez, volte para o passo1. Quanto você realmente quer ter controle sobre seus hábitos e viver uma vida menos estressante?

Além disso, se você tiver um cônjuge, a pessoa deve estar tão empenhada quanto você, ou então a falta de notas fiscais não irá permitir que você veja os hábitos de consumo dele. Isto pode ser muito delicado para alguns casais. Se um dos cônjuges não quiser fazer isso, sugiro que você discuta as questões sobre dinheiro, e como cada um de vocês se sente sobre isso. Caso contrário, o orçamento pode dizer-lhe coisas que você não queria saber, e que você não poderá mudar, devido à incapacidade do cônjuge de mudar.

Espero que esta informação tenha lhe ajudado a reduzir a frustração em lidar com as finanças!