Como escrever comédia

Um homem entra num bar. Um frango atravessa a estrada. Um rabino, um pastor e uma freira vão em qualquer lugar juntos... e o hilário acontece. Ou talvez não. Comédia ou "o que é engraçado" é uma coisa extremamente subjetiva. Como é que você aprende a escrever comédia então? Existe realmente alguns "passos" que podem te levar a escrever alguma coisa engraçada?

Como qualquer tipo de escrita, a comédia escrita requer prática para conseguir fazer direito. E tal como qualquer tipo de escrita, comédia escrita é dominada por algumas pessoas depois de só um pouco de prática, enquanto leva muito trabalho para outros conseguirem sequer uma risadinha do leitor ou espectador. Dito isto, alguém tentando escrever comédia pode querer começar por considerar algumas coisas. Sendo engraçado ou não - bem, faça você mesmo rir. Isso é a coisa mais importante.

  • Escolha um tipo de comédia. Quando você for escrever uma peça de comédia - um editorial, um roteiro de televisão, uma história curta - escolha o tipo de humor que você deseja usar e fique com ele. Claramente, há uma diferença entre humor de Dennis Leary e o de Garrison Keillor. Se você começar a peça indo à loucura e blasfemando como Leary, e de alguma maneira, acabar com o informal, nostálgico "Lago desolado" pelo qual Keillor é famoso, você vai ter uma platéia bem confusa.

    Que tipo de comédia você pode escolher? Tem a comédia pastelão como o humor dos Três Patetas. Tem a paródia, como "The Colbert Report". Há humor negro como alguns dos filmes dos irmãos Coen. Tem o humor irritável de Leary. Tem o humor familiar como os que você encontra em filmes da Disney. Tem o humor seco, observacional humor como em "Seinfeld". Existem muitas possibilidades a considerar lá fora.

    Então como é que você escolheria? Bem, pense no que te faz rir. Se você não se fizer rir, você pode acabar não fazendo mais ninguém quer rir. Pense no que não te faz rir; a não ser que alguém esteja lhe pagando enormes lucros, você não vai querer usar esse tipo de humor. Pense nas piadas que você tende a fazer com sucesso; você pode ser capaz de identificar a sua força cômica. E pense na peça que pretende escrever, assim como o seu público. Se você quiser escrever uma peça infantil, por exemplo, humor político ou humor observacional sobre beber cerveja provavelmente não vai funcionar. Por outro lado, se quiser escrever um editorial de humor para um jornal de faculdade, a política e a cerveja podem ser a combinação perfeita. Como outro exemplo, um roteiro com muito humor físico pode ser ótimo para um filme, mas não para a rádio.

    Independentemente do tipo de comédia que você escolher, seja coerente dentro de uma peça. Pense em como você se sente quando de repente começa uma grande comédia dramática. Bem, se você mudar de palhaço trapalhão para humor seco e sofisticado, ou vice-versa, o seu público-alvo pode ter o mesmo sentimento.
  • Use conflito. Dizem que o ódio é o centro de todas as comédias. Isso não significa que você precisa ser um psicopata irado para escrever comédias bem. Geralmente significa, quando uma pessoa escreve alguma coisa cômica, que eles estão abordando um conflito de uma forma engraçada - talvez porque é mais fácil ou mais pessoalmente satisfatório dessa forma, ou talvez porque nós, seres humanos, por algum motivo, achamos o conflito engraçado. O que é o programa dos Três Patetas, realmente, a não ser um ficando bravo com o outro e ficarem batendo uns nos outros? Uma comédia de situação quase sempre caracteriza uma "situação" que é um conflito. Um personagem A não pode ficar XYZ e a sua busca disso é engraçado. O "engraçado" vem da frustração que ele encontra em sua busca.

    Então como é que você use esta realidade para escrever comédia? Em tudo o que estiver escrito, encontre o conflito e brinque com os obstáculos. Seu personagem não pode consegue fazer o gato descer de uma árvore. Talvez isto lance comédia física em que ele tenta subir a árvore. Talvez ela peça um humor seco à medida que ele fala filosoficamente com o gato. Talvez o seu vizinho fique irritado e sai com uma espingarda e, de repente, torna-se uma passagem sobre como lidar com as pessoas com armas. Cabe a você. Mas encontre o conflito, a raiva, a coisa que não funciona, e encontre o humor na observação, que fixando, combatendo, ignorando ou lidando com isso. E depois adicione mais conflito e comece tudo de novo.
  • Saiba quando e como a exagerar. "Mais", normalmente é melhor com a comédia. O que seria mais engraçado, no cenário acima do gato na árvore: um cara que sai de sua casa com uma espingarda, ou um homem saindo da casa dele com um lançador de foguetes sobre seu ombro? A resposta frequentemente é o lançador de foguetes - é maior, mais distante e mais estúpido. Mas se você estiver escrevendo uma história ou peça com um tom englobando humor seco ou humor realista, uma espingarda estaria melhor, pois o visual exagerado do foguete lançador não se encaixa nesse tom. Todavia, isso não significa que o exagero não deve ser utilizado em humor menos adulto; ele deve ser usado na forma que é adequado ao que está escrito.

    Exagero pode ser complicado. Nós temos visto todas as comédias irem além e acabarem na categoria "demais". Então, enquanto você faz escolhas sobre a sua escrita, pergunte-se: "Será que eu poderia ir um pouco mais longe para tornar isto um pouco engraçado? Ou se eu fizer mais alguma coisa, vai começar a decair."
  • Escolha as suas palavras cuidadosamente. Neil Simon foi citado uma vez como tendo dito que o som do "k" é engraçado, ou mais engraçado do que alguns outros sons, pelo menos. O fato de o cara se perguntar que sons são mais engraçados é talvez uma indicação do motivo pelo qual ele é escritor de comédia mais bem sucedido da América. Seu trabalho como escritor de comédias é sempre para maximizar o impacto cômico, encontrar o que há de mais engraçado. Não deixe a sua linha final ser a da primeira versão que você imaginar. Quando você encontrar o personagem principal da sua historia em uma situação engraçada, considere se há algo ainda mais engraçado que ele poderia fazer. Não fique satisfeito por "meio engraçado." Escritores estão sempre ajustando seu trabalho; escritores de comédia não são exceção.
  • Abrace o conceito de três. Um dos poucos pontos de algum consenso no reino da comédia escrita é que as piadas devem entrar em grupos de três. Isso pode ser do tempo dos Três Patetas, não tenho certeza. Se você ler um editorial engraçado de Dave Barry, Leslie Nielsen ou assistir a um filme ou um velho episódio de "Seinfeld", pode verificar esta lei da comédia em ação. Há geralmente três batidas (ou vários conjuntos de três batidas) para uma piada. "Eu poderia ter feito isso. Ou isso. Ou talvez até mesmo isso." Se o "talvez até mesmo" está faltando, a piada parece inacabada. Ou na comédia física, um cara vai bater no seu dedo do pé, então no rosto dele, então na cabeça dele. Tire a batida na cabeça e não é tão engraçado. Adicione uma pancada na parte de trás da cabeça com um tijolo, e você pode sentir que você precisa ver o homem levando pancadas mais duas vezes. Ou pense em todas as piadas que você ouviu que começam com um rabino, um pastor e uma freira. Novamente, eu não tenho idéia porque esta regra especial funciona, mas funciona. Se você estiver escrevendo algo engraçado, lembre-se disso e tente usar.
  • Cuidado com o tempo (timing). De certa forma, falar sobre o timing da comédia é algo fútil - trata-se de um tipo de coisa explicável. Mas o tempo é crucial para a comédia. Pergunte a qualquer um que riu de uma "cuspida", ou disse, "Essa fala não funcionou mesmo..." Às vezes, o timing é uma questão de desenhar algo até que esteja no seu ponto mais engraçados possível. Outras vezes, isso significa saber quando parar. O timing dependerá do tipo de comédia que você está prosseguindo, às vezes. Uma peça sarcástica pode exigir repetição de idéias cuidadosamente enredadas. Ou se você estiver fazendo pastelão, talvez seja necessário manter a comédia física rapidamente até o momento da "grande vingança", independentemente do que possa ser. De qualquer forma, é importante perceber que quando você diz algo (ou tem um personagem que o diz) muitas vezes é tão importante como o que é dito. Analise as suas comédias favoritas na TV ou no cinema, ou leia peças e livros cômicos e veja como eles usam o timing em proveito próprio.


Escrever comédia é desafiador. Mas qualquer tipo de escrita é um desafio. Se quiser experimentar, vá em frente e aproveite. E, repetindo: não se esqueça de fazer você mesmo rir. Às vezes, isso é o melhor que se pode esperar!