Como jejuar durante o ramadã

O Ramadã é um dos meses mais abençoados no Calendário Islâmico. É um mês de veneração em que é obrigatório, para os muçulmanos, jejuar do nascer ao por do sol, consecutivamente por 29 ou 30 dias. Todos os muçulmanos sabem que é obrigatório jejuar no Ramadã. Alguns já jejuaram durante toda sua vida, mais como um sub-produto cultural de ter nascido em um lar muçulmano do que como uma expressão de compromisso religioso; outros começam em algum estágio mais adiantado da vida, talvez depois de se converterem ao Islamismo. O que permanece verdadeiro para todos, no entanto, é o receio de que esta forma de veneração seja "muito difícil de fazer". Abaixo segue um guia prático sobre como os muçulmanos pode tornar o jejum no Ramadã mais fácil, e também espiritualmente mais recompensador:

  • Faça da sua intenção um motivo para o contentamento de Allah:
Jejuar não é fazer dieta! É muito importante, para a aceitação final de qualquer ato de veneração, fazê-lo somente pelo contentamento de Allah. Se você quiser jejuar sinceramente por Ele, Ele tornará o jejum fácil para você, durante o mês todo. Purifique-se de qualquer desejo de exibir a sua piedade durante este mês.

  • Faça um estoque de alimentos, com uma semana de antecedência:
O jejum requer duas boas refeições a cada dia durante o Ramadã. Dependendo de sua localização geográfica, fatores culturais e preferências alimentares de sua família, vá ao mercado e compre toda a lentilha, laticínios, óleo, arroz, carne, temperos  e farinha (grão-de-bico e trigo) que você vai precisar para o mês. A razão para comprar antecipadamente é que então você não desperdiçará tempo e energia comprando estes itens necessários.

  • Prepare a sua família:
Isto pode ser feito reunindo-se os familiares na mesa de jantar e fazendo-se a leitura em voz alta de material educacional apropriado (de livros islâmicos) sobre as virtudes do Ramadã, e o que todo muçulmano deve ou não deve fazer enquanto jejua. Por exemplo, mentir, revidar a agressões e provocações e perder tempo em atividades frívolas, não são permitidos durante o período do jejum. Uma reunião familiar como esta serve como um lembrete para todos. Adquira um pequeno cartaz com os horários do nascer e do por do sol em sua área para o mês todo. As mesquitas locais geralmente distribuem este material alguns dias antes do início do período de jejum.

  • Recolha-se cedo à noite, durante o Ramadã:
Para poder acordar para o Suhoor - a refeição que deve ser feita antes do amanhecer, antes da oração do Fajr, todos os dias - toda a família deveria ir dormir cedo durante o Ramadã. Assistir televisão e diversões desnecessárias ao ar livre devem ser minimizados. Em vez disto, toda a família deve ir direto para a cama, quando retornar das orações noturnas diárias (explicadas abaixo) na mesquita.

  • Levante-se 2 horas antes da oração do Fajr (antes do amanhecer):
Isto se aplica especialmente à mãe. O resto da família também deve colaborar. Recomenda-se acordar cedo para realizar ao menos duas das orações da noite, antes de ajudar a mamãe a preparar a mesa para o Suhoor. A família deve começar a sua refeição 45 minutos antes do amanhecer, e terminá-la cinco minutos antes do sol nascer. Os últimos cinco minutos devem ser utilizados para enxaguar a boca e fazer abluções, para preparar-se para a oração do Fajr.

Alguns muçulmanos automaticamente começam a comer mais ainda quando o fim do Suhoor se aproxima - pensando "esta é minha última chance de colocar tanta comida quanto puder, para dentro de mim mesmo, antes de ter de passar fome até o por do sol." Os muçulmanos esclarecidos e moderados, entretanto, sabem que jejuar não se assemelha a fazer o corpo passar fome. E, mantêm a moderação durante o Suhoor.

Outros muçulmanos pulam o Suhoor, porque para fazer esta refeição devem acordar nas horas bem iniciais da madrugada. Preferem comer até bem depois da meia-noite e dormir tarde, optando por renunciar ao Suhoor. Esta linha de ação também não é recomendada. A melhor opção é dormir cedo após a oração do `Isha, e acordar 2 horas antes do nascer do dia, para já fazer algumas das orações da noite (Qiyaam Al-Layl), além de uma refeição nutritiva.

  • Passe o tempo, da manhã á tarde, realizando as suas tarefas diárias rotineiras:
Algumas pessoas supõem que, já que não podem comer nem beber até o por do sol, deveriam dormir durante o horário do jejum, e levantar-se somente algumas horas antes da refeição da noite.  Puxam as cortinas, puxam o cobertor sobre a cabeça, ligam o ar-condicionado, e dormem até a noite. Estas pessoas ficam acordadas a noite toda (o horário para comer e beber durante o Ramadã), com parentes e amigos, comendo e conversando sem parar. Após a oração da madrugada  - Fajr - voltam para a cama. Esta não é nem a finalidade nem o espírito do Ramadã. O jejum não bloqueia a energia para o trabalho produtivo, exceto nas duas horas finais do jejum. É encorajado trabalhar e estudar da maneira usual, até 2 ou 3 horas antes do por do sol. Após a segunda oração do dia - Dhuhr - o muçulmano em jejum deve deitar-se e descansar algum tempo.

  • Recite o Alcorão tanto quanto puder, de preferência todo ele pelo menos uma vez, durante o curso do Ramadã:
  • O Ramadã é o mês em que o Profeta Maomé (que a paz e as bençãos de Allah estejam sobre ele) começou a recebem a revelação do Alcorão. É o mês em que cada boa ação voluntária colhe a recompensa de uma ação obrigatória. Portanto, é um mês em que o muçulmano deve tentar enriquecer sua alma através do Alcorão, o que pode ser feito de três maneiras:

    • Recitando o texto em árabe em perfeito Tajweed no estado de ablução.
    • Entendendo o seu significado através da reflexão sobre a sua tradução e exegese, ou participando de um círculo de estudo diário sobre o Alcorão.
    • Recitando os versos durante a oração da noite, que pode ser rezada juntamente com a última oração do dia - `Isha - ou com a oração tahajjud, algumas horas antes do dia nascer.

  • Prepare o Iftar, ou refeição da noite, para quebrar o jejum:
Esta refeição é o momento mais importante do dia para todo muçulmano, durante o Ramadã. Os espíritos estão elevados, e há conversações animadas nos bairros muçulmanos, enquanto as pessoas estão em plena atividade preparando os seus alimentos para o Iftar. Esta refeição, infelizmente, é a causa da maioria dos excessos e extravagâncias que se verificam durante este mês. Veja como:

As pessoas passam os últimos minutos antes do por do sol - o momento para orações fervorosas - preparando a mesa e colocando comida em seu prato. Os últimos minutos são testemunha da máxima sede e fome que um muçulmano sente quando está jejuando por amor ao seu Criador; por este motivo, Allah está extremamente atendo e amoroso em relação aos fiéis nesta hora. As súplicas feitas fervorosamente nestes minutos são aceitas por Allah. A maioria dos muçulmanos desperdiça esta chance, conversando à mesa, enquanto as mulheres passam estes minutos na cozinha, fritando as últimas unidades de alimento que estão preparando.

Depois do Iftar, os muçulmanos negligenciam a quarta oração do dia - maghrib. É permitido demorar alguns minutos para fazer a oração, para quebrar o jejum antes. Mas, o fiel deve apressar-se em oferecer esta oração tão logo a fome e a sede tenham sido acalmadas. A melhor maneira de fazê-lo é quebrar o jejum em estado de ablução, comendo o quanto a pessoa julgar necessário, com um copo de água,e então enxaguar a boca, fazer o sivak e oferecendo a oração do maghrib com a barriga leve e um coração atento e cheio de gratidão. Depois da oração, a pessoa pode retornar à mesa, para completar com moderação a sua refeição. Esta linha de ação evita que uma pessoa faminta, que estava jejuando, coma em excesso quando vai quebrar o jejum.

Num contraste bastante nítido, a maioria das famílias concentra-se em encher bem seus pratos com alimentos fritos, com antecedência, e aguardando para fartar-se com estes pratos assim que o sol ss põe. Estas pessoas continuam comendo e falando muito por meia hora, ou algo assim, seguindo os alimentos fritos por um jantar pesado, chá e sobremesa. O resultado é um estômago empanturrado e uma cabeça completamente cheia, que tiram a concentração de suas preces noturnas. Eu lamento ter de apontar como arrotos desconfortáveis anulam o efeito calmante da oração da noite, porque as pessoas comeram em excesso no Iftar.

Festas de Iftar: existe uma tendência, entre alguns muçulmanos, de oferecer grandes festas de Iftar em alguns dias durante este mês. Algumas pessoas convidam muitas famílias de uma vez só, preparando para os seus convidados refeições que são um verdadeiro esbanjamento. Grandes quantidades de alimentos são vistos indo para o lixo, enquanto os convidados desperdiçam a oportunidade de rezar o maghrib e o `Isha após o desjejum, e divertem-se comendo e bebendo em meio a música ao vivo, e misturando-se livremente. Isto vai contra o que é para ser o espírito do Ramadã. Ao mesmo tempo em que é altamente recomendado distribuir alimento para quebrar o jejum de outras pessoas, incluindo os vizinhos, parentes e especialmente os pobres e necessitados, a pessoa deve esforçar-se para garantir que a preparação e distribuição deste alimento não afetará adversamente a programação e horários de devoção dos outros.

  • Caridade:
O Ramadã é o mês em que uma pessoa deve fazer tanto sadaqah, ou caridade, quanto puder. É melhor doar quantidades menores de dinheiro, roupas ou alimentos regularmente ao longo do mês do Ramadã, do que doar grandes quantidades apenas uma vez ou duas. A maioria dos muçulmanos deixa para distribuir as suas contribuições anuais para caridade  - Zakaah - durante o Ramadã.

  • Faça regularmente a Qiyaam Al-Layl, ou a oração da Noite:
Parte das noites do Ramadã devem ser passadas em oração islâmica devotada, altamente suplicante. Isto pode ser feito na congregação, após a oração `Isha, seguindo um imam na oração de Taraweeh, especialmente aqueles homens e mulheres que não conseguem recitar o Alcorão muito bem. A melhor opção, no entanto, é rezar sozinho esta oração, algumas horas antes de o dia nascer, recitando tanto do Alcorão quanto a pessoa consegue lembrar-se de coração, em oração; é nesta hora que a pessoa pode concentrar-se inteiramente na oração, e quando Allah está mais atento e benevolente com relação aos Seus servos. Os muçulmanos devem, portanto, usar este período à noite para pedir fervorosamente a Allah perdão pelos seus pecados.

  • Guarde energia para os últimos dez dias do Ramadã:
Observa-se, em geral, que a maioria dos muçulmanos inicia o mês do Ramadã com uma devoção zelosa, mas perdem ânimo depois de 2 semanas mais ou menos. Buscam pressurosamente uma lição diária sobre o Alcorão, ou as orações noturnas guiadas por um imam, para parar de recitar ou estudar o Alcorão antes da última semana do Ramadã. Isto ocorre porque nestes últimos dias precisam descansar mais, preparar-se para as festividades/feriado de `Eid que se aproxima, comprar roupas e calçados, e pegar vôos para passar o `Eid com parentes em outros locais. A maioria das pessoas passa as últimas três noites do Ramadã fazendo compras acaloradamente para o `Eid.

A linha de ação correta, entretanto, é fazer compras com moderação nos 20 primeiros dias do Ramadã, e aumentar o fervor religioso durante os 10 últimos dias. As primeiras 2 semanas de jejum adaptam bem o corpo ao modo de jejum: lá pelo 15º dia do mês, a maioria dos muçulmanos está bem ajustada a uma rotina de jejuar de dia e orar à noite. Os últimos 10 dias deveriam destinar-se a os muçulmanos aumentarem a sua concentração na devoção, recitação e orações noturnas. As compras para o `Eid são mais bem feitas antes do Ramadã. No entanto, como o jejum consistente cobra o seu preço ao corpo quando chegam os 10 últimos dias do mês, é melhor passar parte destes últimos dias dormindo ou descansando.

Por fim, depois que o muçulmano jejuou ao longo do mês do Ramadã, deve orar para que Allah aceite todos os atos de devoção que aí praticou. É uma benção de Allah que a cada ano Ele traga o Ramadã sobre nós, dando-nos desta forma uma oportunidade de fortalecermos nossa fé e renovarmos nosso desejo de praticar bons atos. Não admira, então, que o Ramadã seja definido como a "primavera" do calendário islâmico!