Como proteger a honra do seu marido como uma mulher muçulmana

Tradicionalmente, ocupações como culinária, costura, moda e design de interiores foram considerados terreno exclusivo das mulheres. Hoje, porém, todos têm testemunhado incursões por homens, em certa medida. Um domínio, no entanto, continua a ser predominantemente de mulheres, é os afazeres do lar. Isto porque a natureza da mulher é inata para ser o capitão de sua casa. Como gerente, protetora e coordenadora, ela é feliz fazendo tarefas domésticas e atendendo às necessidades da sua família, enquanto o marido, mais frequentemente, o chefe arrimo de família, permanece ausente durante todo o dia no trabalho.

Deus tem reconhecido este aspecto funcional da unidade familiar, instruindo as mulheres para ser "protetora" das propriedades e honra de seu marido, na sua ausência:

"Portanto, as virtuosas mulheres são devotadamente obedientes (ao marido), e protegem na ausência (do marido) o que Deus teria protegido..."

[Alcorão - Surah Al-Nisaa: 34]

Guardando "o que Deus teria protegido" implica que uma mulher muçulmana deve agir:

  • As propriedades do marido (casa, dinheiro, pertences, e qualquer coisa que ele deixa para trás),
  • Sua própria modéstia e castidade e, finalmente,
  • A honra e reputação do marido.

Proteger a honra do seu marido significaria não mencioná-lo, o seu caráter, ou suas ações a qualquer terceira pessoa, em uma forma depreciativa ou de difamação - nunca. Embora o mundo normalmente olha severamente para uma casa em desordem, ou uma mulher traidora flertando com outros homens, esse aspecto da fidelidade de uma mulher - a manutenção da honra do marido dela, pelas suas costas - é algo que muitas "boas" esposas falham em realizar. As mulheres geralmente falam bem dos seus maridos para as pessoas às quais elas não são tão chegadas. É com os familiares e amigos, no entanto, que elas involuntariamente dão algumas escorregadelas.

  • Tenha cuidado com escorregões não intencionais em conversas com outras mulheres:

    Mesmo se não houver uma grande discussão entre o casal, quantas vezes vemos as mulheres muçulmanas casualmente comentarem umas às outros sobre as suas insuficiências do marido. Seja por telefone, ou durante uma visita, é comum ouvi-las reclamando sobre os seus maridos à sua mãe, irmã, prima, ou melhor amiga. Mesmo que elas discutam sobre o marido amorosamente, alguns aspectos ocultos do comentário, ou apenas o tom de voz, por vezes carrega desprezo ou escárnio.

    "O encanador chegou, e eu tinha pressa para voltar para casa para supervisionar o seu trabalho, já que o [meu marido] é totalmente inútil; aos sábados, ele fica na cama o dia todo e não faz absolutamente nada ..."

    "Meu marido ronca tão alto, que poderia assustar qualquer um que o ouvisse no meio da noite."

    "Ele se oferece para cozinhar, mas seus pratos revelam-se horríveis, por isso prefiro não comer o que ele faz ..."

    "Ele nunca me leva às compras; ele está sempre envolvido no seu trabalho."

    Durante os jatos dessas conversas “femininas”, as potentes falhas dos seus maridos são reveladas involuntariamente. Os ouvintes riem conscientemente, acenando suas cabeças em um gesto de compreensão compassiva. O que eles gostam é o prazer de saber que este casal muçulmano supostamente "feliz" e perfeito, também tem diferenças conjugais usuais; que, mesmo casais aparentemente "virtuosos" nem sempre podem viver em harmonia. E por último mas não menos importante, dá-lhes conteúdo para fofocas.

  • Lembre-se que mencionar as fraquezas do seu marido pode iniciar fofocas sobre você:

    Os fofoqueiros de qualquer círculo social nutrem-se das "suculentas" dicas relativas a discórdia conjugal de outros casais, as quais eles pescam em conversas e rumores. Todos nós ouvimos as histórias sobre o parente rondando a porta do quarto enquanto o marido e a esposa discutem, ou o amigo "sincero" oferecendo seus ombros a uma mulher frustrada, apenas para discutir a conta com outros amigos dela depois.

  • Lembre-se que proteger a honra do marido é um dos comandos de Deus para uma mulher muçulmana:

    As mulheres muçulmanas devem ser sábias o suficiente para entender que, ao revelar os defeitos do seu marido a qualquer pessoa, elas estão desobedecendo a Deus, e assim colocam-se em risco de Sua ira. Elas sozinhas, estão perdendo terreno por esta ação. Mesmo que o Islã permita que uma mulher procure ajuda para os grandes problemas em seu casamento, ele a ordena a suportar todos os problemas conjugais triviais com paciência e discrição. Uma mulher não obtém tanto respeito em qualquer lugar do mundo, como ela obtém na casa do seu marido: lá, ela é a rainha do seu trono, elegante e etéreo. Quando ela difama seu marido, de alguma forma, a uma terceira pessoa, ela se rebaixa deste elevado pedestal. Ela oferece às pessoas uma chance de ironizarem dela e ela discuti-la com os outros, tornando-se o tema da mesa de café.

  • Cuidado com a preocupação até mesmo das suas mães biológicas e irmãs - que por vezes podem ser a causa de seus problemas conjugais:

    Narrado por Ibn Abbas, Profeta Muhammad [paz e bênçãos de Deus estejam com ele] disse:

    "A melhor mulher (esposa) é aquela que, quando você olha para ela, ela te agrada, quando você comanda a ela, ela te obedece, e quando você não está na sua presença, ela se salvaguarda e a seus pertences."
    [Ibn Majah 1861]

    As mulheres muçulmanas devem ter cuidado sobre este assunto, mesmo com suas irmãs e mães biológicas. Ao final do dia, ninguém quer que uma mulher entre e venha viver com elas se ela se divorciar ou se afastar do seu marido. Elas, no entanto, gostam de ouvir suas incessantes queixas dos problemas do seu marido em casa: como as finanças estão baixas, como seu marido está relaxado, o quanto ele come, ou como ele ignora os seus direitos. Elas poderiam jogar incidentes derradeiros na sua cara até mesmo meses depois que ela seguiu adiante e se esqueceu deles, de modo que ela começa a se encher de indignação de novo. As mulheres muçulmanas devem tentar não cair nas instigações de tais pessoas "que querem o seu bem", que riem quando ela ludibria seu marido, que se deleitam com dissensões conjugalis que prosperam em ficar sabendo de problemas domésticos de outras mulheres. Eles são demônios disfarçadas, predando sobre a tranqüilidade dos lares dos outros, buscando suculentas fofocas para o café. As mulheres muçulmanas devem estar conscientes da desobediência de Deus a este respeito.

  • Faça de suas confidentes e ombros para chorar apenas mulheres honradas, tementes a Deus:

    Mesmo se você tiver uma briga com seu marido e achar que precisa falar com alguém para se sentir melhor, faça-o com alguém que tem um elevado Taqwa [consciência de Deus], que nunca irá divulgar a sua história para ninguém. Mesmo a sua própria mãe poderia mencionar à irmã dela, que poderia dizer à sua filha, e, deste modo, toda a família pode estar discutindo seus problemas domésticos e comentando sobre eles, semanas ou meses após a coisa toda ter se resolvido.


Lembre-se que em todos os desígnios de Deus reside um potente hikmah, uma sabedoria escondida que é benéfica para você. Ele te ama setenta vezes mais do que a sua bem-intencionada mãe. Corra para Ele - no salah [oração islâmica habitual], dua [rezando a Ele], dhikr [Sua lembrança pela língua e coração], e istighfar [buscando o Seu perdão por pecados] – sempre que você tiver um motivo para discutir com seu marido. Para a solução e o sol após a tempestade, confie em Deus. Se você mantiver seus deveres com Ele, Ele nunca vai abdicar de você – ao contrário, ele vai encher sua casa com desenfreada paz, harmonia e tranquilidade.