Como ser espiritual, livre e feliz

A maioria dos homens na sociedade pertence a uma religião ou outra. Estes homens mantêm a fé em Deus, textos religiosos, escrituras e seus costumes e práticas religiosas. Então, a maioria das pessoas é religiosa. No entanto, nem todos os homens religiosos podem ser espirituais.

O espiritualismo está relacionado à alma ou espírito. Espírito / alma é o verdadeiro eu interior ou de um indivíduo. O verdadeiro eu é a verdadeira identidade de um homem. É nada mais que uma fonte de vida e de consciência, de modo que o espiritualismo está relacionado à verdadeira identidade de um homem. Um homem que conhece, ou tenta conhecer sua verdadeira identidade é espiritual. Ele tenta perceber Deus em si mesmo. Em muitas religiões, é dito que Deus reside no coração do homem, ou que o corpo é o templo de Deus. Portanto, para ser espiritual, livre e feliz, deve-se entender e seguir os pontos abaixo.

  • Chegue mais perto da vida e da consciência. Em todo o universo, há duas coisas ou realidades – uma é a consciência, e outra é a matéria. Todos os seres vivos estão conscientes que os objetos que não têm consciência são matéria morta. Onde não há consciência, não há vida e a vida e a consciência são eternas e duradouras. Por outro lado, objetos materiais são destrutíveis e momentâneos. Então, um homem espiritual deve tentar se aproximar da vida e da consciência e se manter afastado de objetos e prazeres materiais.
  • Desista do dualismo. Líderes religiosos que interpretam textos religiosos pregam principalmente o dualismo; que é que Deus reside no céu e o dever de um homem consiste em seguir todas as instruções, costumes e práticas religiosas, para que depois da morte, ele possa entrar no céu e satisfazer Deus ou misturar-se com Deus. No entanto, se textos são interpretados corretamente, precebe-se uma mensagem espiritual verdadeira neles. Quando os indianos Upanishads descrevem Atman (alma) como Brahman (grande) ou a Bíblia Sagrada descreve o corpo como o templo de Deus ou que o paraíso está dentro de você, as mensagens são iguais. As pessoas devem procurar por Deus dentro, e não fora. Então, um homem espiritual deverá procurar por Deus dentro e desistir do dualismo.
  • Liberdade. Geralmente, as pessoas falam de liberdade política e social. Mas estas são liberdades apenas parciais. Só a liberdade espiritual dá liberdade total. Enquanto alguém procura por Deus e um paraíso lá fora, acredita em histórias da mitologia, acredita na realidade da riqueza material, poder e prazer, ele não está livre e permanece em constante cativeiro. Um homem espiritual desiste de pontos de vista dualistas e procura tudo lá dentro. Ele liberta-se de todas as histórias e todas as imaginações. Ele acredita naquilo que os Upanishads descrevem - alma e Deus são uma só e a mesma coisa. Aquele que é livre é aquele que é espiritual e aquele que é espiritual goza de liberdade.
  • Felicidade. Um homem espiritual que desiste do dualismo e chega mais perto de seu verdadeiro eu goza da felicidade. No sono profundo, nada se vê, nada se ouve e mantém-se em si mesmo e por isso goza da felicidade. Nenhuma atividade no mundo é tão feliz como o sono profundo. No entanto, em sono profundo, se permanece em um estado inconsciente. Mas quando alguém chega a uma verdadeira auto consciência, ou seja, através da meditação e concentração total da mente, ela goza de uma felicidade tão grande que não pode ser descrita em palavras. Então, um homem espiritual é livre e goza de felicidade. Liberdade e felicidade são um só.