Como superar a ansiedade

Todos nós sabemos que a ansiedade é ruim para a nossa saúde. A ansiedade pode variar de um leve desconforto a um intenso medo. Se a sua ansiedade inclina-se na direção da extremidade do medo intenso no espectro, você terá que consultar um profissional da saúde. A ansiedade pode ser um sintoma de outros problemas de saúde mental, que um profissional pode avaliar. Mas se a sua ansiedade inclina-se mais na direção da extremidade da preocupação no espectro, então este artigo é para você.

Para aprender a parar de se preocupar e superar a ansiedade, você precisa estar em contato com seus sentimentos e sensações. Seus sentimentos são como placas de sinalização, que estão lá para dar a você informações e feedback sobre você e seu lugar no mundo. Para alguns de vocês, estar em contato com seus sentimentos irá requerer a suspensão de substâncias que embotam, distraem, distanciam ou mesmo causam uma ruptura em você, impedindo-o de viver o momento presente. Você diz "Mas, em primeiro lugar, é para isto que uso estas substâncias" ? Enquanto você continua evitando os sentimentos, em vez de senti-los, eles continuarão voltando para dar-lhe a oportunidade de viver a esperiência que proporcionam. Não estou dizendo a você para jogar longe tudo o que possa viciar, num acesso de selvageria, mas se você quer parar de se preocupar, terá que se tornar mais consciente de como se sente, e tornar-se mais consciente de como se sente significa estar presente, e não confortavelmente adormecido num mundo de sonhos. Seu estômago está incomodando você? Você tem alguma idéia de por que? Seu estômago está tentando dizer-lhe alguma coisa: não espere até uma úlcera tornar a mensagem inevitável. E não, mais um drinque (another drink) não vai ajudar.

OK, agora que eu perdi os indecisos e os céticos, vamos seguir em frente. O truque para aprender a superar a ansiedade é treinar a mente para observar as coisas boas que estão acontecendo agora, em vez das coisas ruins que podem ter acontecido no passado ou possam vir a acontecer no futuro. Aqui está uma lista de verificação para você começar:

  1. Permaneça no momento presente, tanto quanto possível. Se você passou por cima desta questão dizendo "Sim, sim, isto eu já sei" pense mais um pouco. Permanecer no prsente, na verdade, é muito, muito difícil. Quer se trate de avaliar o que você precisa pegar no supermercado no caminho de casa, ou tentar discernir o que realmente o seu patrão quis dizer ontem quando disse x, as probabilidades são de que você está fazendo qualquer coisa, menos estar aqui e agora. Alguns truques para se colocar no momento presente incluem voltar a sua atenção para o seu corpo e as sensações que vêm de dentro para fora. Prestar atenção à sua respiração, ajuda. Meditação (mesmo que apenas alguns minutos por dia) faz maravilhas. Isso ocorre porque quando você se senta em silêncio, e observa calmamente a sua mente em sua roda de hamster, você percebe quando a roda de hamster pára. Não surpreendentemente, é uma boa sensação, uma para a qual você começa a querer voltar durante a vida quotidiana. Isto é o início da disciplina você precisará para manter sua mente longe da roda de hamster e no momento presente.
  2. Ceda o controle ao Major Tom. Quais são as mensagens que você dá a si mesmo? Quando você dirige seu carro em más condições meteorológicas, pensa "Será um milagre se eu não sofrer um grave acidente e me tornar permanentemente paralítico?”. Você visualiza as rodas derrapando enquanto é lançado contra a estrutura de um trator? Você fica pensando como será capaz de pagar a fisioterapia indubitavelmente cara após o acidente? Ou pensa para si mesmo "Estou seguro em todos os momentos", enquanto visualiza-se chegando ao seu destino, seguro e em tempo (ou mesmo mais cedo do que o esperado). Observe o diálogo que tem consigo mesmo, e os filmes que você mesmo passa em sua cabeça, e poderá se surpreender. Sua mente gera pensamentos aleatórios e muitas vezes irrelevantes, que você pode seguir por horas a fio, andando em círculos. Isso provavelmente serviu a uma função útil há muito tempo, quando tentávamos descobrir onde os tigres de dente-de-sabre poderiam estar escondidos, mas esta capacidade do cérebro esta hipertrofiada. Siga o curso das suas preocupações algum dia, e você ficará espantado com a capacidade de sua mente de inventar enredos indutores de ansiedade. Se for necessário, apele para a criatividade, e deixe que ela faça os ajustes finos das mensagens.
  3. Visualize as situações positivas. Acredite-me, eu sei que isto não é fácil, mas você precisa trocar parte da fiação. Pense nisso como contrabalançar todos os resultados negativos que você tem estado visualizando durante anos. Lance a si mesmo o desafio de pensar em todas as coisas possíveis de dar certo. Seja específico, seja criativo e divirta-se. Divirta-se um tanto com isto: transborde!
  4. Preste atenção aos seus sentimentos. Sabe aqueles momentos em que você sente que simplesmente não pode mais prosseguir e tem, absolutamente, que fugir de alguma forma? Todos nós os temos. Se você está lutando com algum vício, este é o momento em que você TEM que ter um cigarro / bebida / dose ou seja lá o que for! Seu corpo está tentando se comunicar com você nesses momentos, e se você estiver presente no seu corpo, saberá que precisa prestar atenção. Que seqüência de eventos conduziram você até este ponto? É um sentimento de impotência? Você deveria estar falando por si mesmo, mas não o faz? Inevitavelmente, não são boas sensações que você está tendo, mas fugir delas não as fará ir embora. Como você provavelmente pode dizer agora, minha tese é de que a ansiedade é simplesmente uma outra forma pela qual seu organismo tenta se comunicar com você. Depois de você fazer seus sentimentos em pedacinhos por anos, seu corpo teve de empenhar mais esforços para prender sua atenção. Preste atenção ao que ele está tentando lhe dizer, e ele será capaz de baixar o tom da mensagem. Nunca se sente bem na presença de seu marido? Adivinhe só? Marido errado! Se você abafa um sentimento sempre de novo e de novo, este sentimento continuará voltando para você, em níveis cada vez mais altos angústia, até você finalmente "pegar" a mensagem. Esses são momentos altamente potentes de aprendizagem, se você puder domar o seu desejo de fugir a todo custo e, em vez disso, prestar atenção.
  5. Desligue-se da televisão. Os milhares de eventos apaixonantes que ocorrem todos os dias ao seu redor não vão virar notícia, enquanto as histórias que angustiam, assustam e incitam, estas sim, estarão nos noticiários. Assuma a tarefa de focar-se naquelas histórias que não vão sair nos noticiários. De encontros casuais no supermercado ou no posto de gasolina, à convivência com seus colegas de trabalho, concentre-se nos aspectos positivos. Melhor ainda, crie você mesmo mais alguns destes eventos. Escolha dar um sorriso genuíno a alguém que lhe parece que faria bom proveito de seu gesto, e começe a mudar sua percepção, e a dos outros, do mundo como um lugar não muito amável.
  6. Desligue-se da culpa. Estamos todos familiarizados com esta linha de pensamento auto-destrutiva. Ficaria mais ou menos assim: "Se ao menos meu marido / mulher / mãe / pai / filho fizesse x, y ou z, então eu seria capaz de parar de preocupar-me."  Seu marido / mulher / mãe / pai / filho não vai fazer x, y ou z, não agora, não amanhã e não no dia seguinte, embora você possa passar sua vida inteira esperando que aconteça. Você nunca será capaz de controlar o comportamento de ninguém, a não ser o seu próprio. Essa linha de pensamento (a culpa) é, de fato, uma maneira conveniente de evitarmos assumir a responsabilidade por nós mesmos. Nós todos conhecemos pessoas que passaram uns bons sessenta e poucos anos neste planeta, e que ainda culpam os outros pelas suas atuais desventuras. Não é bonito, é?
  7. Assuma a responsabilidade. Do ponto de vista positivo, você é capaz de controlar seu próprio comportamento! Você não pode mudar nenhuma outra pessoa, mas pode mudar a si mesmo. Se você quiser melhorar a sua vida em qualquer aspecto - incluindo diminuir a sua ansiedade - tem que assumir a responsabilidade pela sua vida, em primeiro lugar. Não entregue a nenhuma outra pessoa o seu poder, seja um médico ou um guru. Creio que todos nós somos muito mais capazes do que percebemos, de colocar um controle sobre nossos próprios estados emocionais e melhorá-los. O primeiro passo para fazê-lo é a assumir a responsabilidade por quem você é, aqui e agora.
  8. Tenha compaixão por você mesmo. Você não vai mudar velhos hábitos da noite para o dia. Você tem estado preocupado por um longo período de tempo, e esta é a resposta escapista do seu cérebro. De fato, anos de prática tornaram você muito bom nisso. Devagar, você vai começar a mudar a maneira como fala consigo mesmo, o que você escolhe observar, e como você reage. À medida que o faz, você vai perceber que algumas dessas tendências estão mais infiltradas do que outras. Você vai se desfazer delas ao longo do tempo, tendo sempre consciência de seus progressos. Você não vai se recriminar pela lentidão aparente de seu progresso, nem vai comparar-se a outros. Você está em sua própria jornada individual, integrando as mudanças com qualquer estilo e em qualquer medida que funcione melhor para você.
  9. Comemore. Da mesma forma que você precisa para desviar o seu foco das tragédias do mundo para seus melhores pontos, também precisa mudar o foco do que é errado para o que está certo em sua própria vida. As chances são de que se você estiver lendo este artigo, as coisas não estão lá muito aveludadas para você, agora. Mas você deve se disciplinar para ver as muitas coisas boas na sua vida, mesmo em meio às sombras. Você precisa descobrir as coisas que possibilitam a você elevar seu próprio espírito, sejam as mechas loiras nos cabelos de seus (malcomportados) filhos, ou o fato de que você realmente voltou para casa para falar com seu pai antes de ele falecer. Porque aquilo em que você se concentra é o que a sua vida se torna, assim concentre-se naquilo que há para comemorar. Sempre há alguma coisa!
  10. Pratique. Você chegou até quase o final de um longo artigo, e eu ainda não perdi você. É um bom sinal, pois demonstra o seu compromisso com a aprendizagem destas técnicas. Agora, você precisa praticar. Você tem feito as coisas do jeito antigo - o jeito preocupado - por um longo tempo, e não será fácil desaprender estes hábitos. Pense nisso como um cio, pense nisso como uma trajetória sináptica bem utilizada, pense nisto utilizando qualquer analogia que funcione bem para você. Mas o ponto é, você precisa criar novos percursos, você precisa treinar seu cérebro para processar de forma diferente. O mais provável, é que seu você esteve se preocupando desde a infância, há muito desfazer a ser feito.
Um dos aspectos mais entusiasmentes de fazer uma mudança é que, depois que fizer, a próxima se torna mais fácil. À medida que você diminui a sua preocupação sobre as pequenas questões (sim, o seu palpite estava certo), começará a perceber que a preocupação não ajuda realmente na solução de problemas maiores. Você começará a ver que tem uma escolha sobre a forma como gasta seu tempo e sua energia, e que a visão restrita da preocupação e da ansiedade de fato o impede de desfrutar um espectro mais amplo de experiências. E impede que você receba as mensagens importantes que seu organismo lhe dá todos os dias, que realmente lhe permitiriam gerir uma crise, se surgisse uma.

Então, dedique sérios esforços a algumas destas técnicas, domine a crítica, e comece a trocar a fiação das suas preocupações. Uma vida livre de ansiedades está ao seu alcance, se você se empenhar na disciplina e esforço de criá-la dessa maneira.