Como tratar nódulos tireoidianos

Segundo as estatísticas, cerca de dez por cento da população tem nódulos tireoidianos, e pessoas com doenças na glândula tireóide correm maior risco de desenvolvê-los.

1. Os nódulos tireoidianos parecem-se com pequenos tumores que crescem dentro da glândula tiróide. Esses nódulos se apresentam em tipos e tamanhos diferentes. Algumas pessoas desenvolvem apenas um nódulo  dentro da glândula tiróide, enquanto outras podem ter um certo número deles (múltiplos nódulos). Aproximadamente 95% dos nódulos da tireóide encontrados são tumores benignos que não apresentam qualquer risco para aqueles que os têm. Se um médico achar que um nódulo é suspeito de ser maligno ou que seja grande o suficiente para representar um problema para engolir ou respirar, ele pode pedir testes que forneçam uma análise detalhada e possa ajudar a determinar um tratamento.

2. Os nódulos da tireóide podem ser detectados e diagnosticados através de diferentes testes. A detecção de nódulos tireoidianos geralmente é feito primeiramente com o toque, também referido como "apalpação". Muitos deles são encontrados pelos próprios pacientes, enquanto outros podem ser encontrados incidentalmente por um médico realiza um exame físico.

Depois que nódulos da tireóide são detectados, mais testes de diagnósticos podem se seguir para determinar o tipo de nódulo que está presente. Uma ecografia pode ser pedida, também chamada de "ultra-som da tireóide", este teste fornece imagens detalhadas que podem medir com precisão o tamanho e determinar o tipo de nódulo que está sendo analisado.

Testes de imagem radiológica também podem ser pedidos, tais como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética ou RAI, que produzem imagens detalhadas por meio da utilização do iodo radioativo, que é dado ao paciente e absorvidos pela tiróide.

3. O tratamento para nódulos múltiplos ou nódulos grandes moles (mornos) é a terapia de reposição dos hormônios da tireóide. A maioria dos nódulos tem normalmente uma textura macia, e são referidos como "nódulos mornos", o que significa que eles não afetam a produção do hormônio tireoidiano. Este tipo é muitas vezes cístico, significando que ele possui um centro mole que geralmente contém fluido. Esses nódulos da tireóide não precisam de tratamento, se os níveis de hormônio tireoidiano do paciente estiverem dentro dos limites normais e os nódulos não forem grandes o suficiente para representar um problema ao paciente. Quando eles são de tamanho grande ou múltiplos, o médico pode prescrever uma terapia de reposição dos hormônios da tireóide, que pode ajudar a diminuir nódulos e fazer eles pararem de crescer.


4. Quando os nódulos da tireóide são firmes (sólidos), eles podem ter que ser removido por meio de uma cirurgia de tireoidectomia. Nódulos da tireóide firmes são também referidos como nódulos "frios" porque não absorvem o iodo a partir da glândula tiróide e também não liberam hormônios tireoidianos, enquanto os nódulos mornos (produção normal) e os "quentes" (superprodução) assim o fazem. Os nódulos firmes aparecem em exames de imagem como áreas frias (o que significa que eles não estão produzindo). Assim que são detectados, uma biópsia do tecido do nódulo é também realizada para determinar a possibilidade de malignidade.

Se o nódulo da tireóide for maligno, uma tireoidectomia total (remoção total das glândulas) pode ser realizada. Se o nódulo encontrado for benigno, uma tireoidectomia parcial pode ser realizada para diminuir as chances de se desenvolver tumores malignos mais tarde. Uma vez que a remoção parcial ou total da tireóide for realizada, o paciente precisará de uma terapia de reposição dos hormônios da tireóide para compensar a falta da glândula.

Se você encontrar um nódulo tireoidiano (ou nódulos) em sua glândula tiróide, ou suspeitar que pode ter um devido à dificuldade em engolir, visite seu médico para um check-up.