Como utilizar suplementos desportivos para recuperação muscular

O excesso de treinamento é motivo de preocupação para praticantes de exercícios, por isso o uso de suplementos para recuperação muscular é uma técnica comum para ajudar a retomar um programa mais rapidamente. Há quatro suplementos e dois antioxidantes que são fundamentais para melhorar a recuperação do organismo, aumentando os diferentes sistemas de recuperação de músculos após muitos exercícios. Sendo estes os únicos suplementos para fitness, procure por eles em loja de vitaminas que lidem com necessidades de atletas, já que é pouco provável de encontrá-los no corredor de farmácias comuns. É importante combinar este programa com um sono suficiente para processar a glicose e produzir energia, bem como evitar os efeitos colaterais da privação de sono, que incluem aumento da produção de cortisol, que ataca o tecido muscular e impede a recuperação muscular.

  1. Inicie um programa de suplementação de creatina monohidratada. O fosfato de creatina é uma fonte de energia nas células musculares que dá energia à esforços de máxima intensidade. A creatina é naturalmente encontrada em alimentos de base animal, como a carne bovina. Numerosos estudos tem demonstrado que suplementar com creatina pode aumentar significativamente o nível de fosfato de creatina que está armazenado nos músculos, permitindo trabalhar com maior intensidade por um tempo maior, aumentando os efeitos de treinamentos de força. O Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports em 2003 afirmou que o uso da creatina monohidratada como suplemento muscular melhora quantidade de massa magra e gera aumento da força. A dosagem recomendada de creatina monohidratada é de 5 gramas quatro vezes ao dia durante cinco dias no inicio. Após isso, mantenha em 5 gramas uma vez ao dia após o treino.
  2. Inicie uma suplementação de glutamina. Os níveis de glutamina tem demonstrado diminuir em relação ao excesso de treinamento, muitas vezes tornando o sistema imunológico mais fraco. Estudos mostram que a glutamina pode aumentar a tolerância ao treinamento, mesmo após um exercício prolongado. A dosagem recomendada para a suplementação de glutamina é de 10-15 gramas por dia.
  3. Inicie um programa de beta-hidroxi-beta metilbutiratode (HMB). Esta é produzida no organismo a partir de proteínas que contêm o aminoácido leucina. Acredita-se que a HMB reduz o esgotamento muscular após exercícios extenuantes. Muitos atletas de força e velocidade utilizam a HMB, já que ela permite um exercício mais intenso num menor tempo de recuperação. Assim eles ganham tamanho e força muscular mais rápido. A suplementação HMB é de 3 gramas por dia, dividida em um grama antes das três refeições diárias.
  4. Inicie um programa de suplementação de l-carnitina. A L-carnitina vem da carne, e é feita pelo fígado e rins. Sua finalidade é transportar ácidos graxos por toda a membrana celular para ser metabolizada. Alguns especialistas acreditam que a l-carnitina é útil, ao tomar a l-carnitina após o treino, você pode reduzir os danos nos tecidos musculares induzidos por exercício e melhorar a recuperação dos tecidos que tenham sido danificados. A dosagem recomendada é de 2 gramas por dia, tomadas após o treino.
  5. Selecione os antioxidantes para reduzir as dores musculares pós-treino e danos nos tecidos. Há algumas evidências que os radicais de oxigênio desempenham um papel no dano celular que se segue a ruptura das fibras musculares durante o exercício. Os antioxidantes são necessários para limitar esses danos. As vitaminas C e E são particularmente boas em para se defender dos danos oxidativos nos músculos. Os antioxidantes também reduzem o inchaço e a inflamação, bem como ajudam a remover resíduos da musculatura, ajudando-os a funcionar melhor. O ácido alfa lipoico é excelente para a remoção de inchaços e inflamações.