Como viajar para o Nepal

Está de saco cheio de suas viagens? Já cansou do abismo existente entre as promessas dos agentes de viagem e a realidade? Entediado de ver sempre as mesmas coisas? Este é seu dia de sorte! Se você está para escolher um país para visitar no Sul da Ásia, este tem que ser o Nepal. Localizado entre o planalto tibetano e as planícies da Índia, não é apenas o lar de 8 das montanhas mais altas do mundo, mas também de uma diversa variedade de grupos étnicos que continuam a praticar seus complexos modelos de costumes e crenças.

Durante anos, a visão que o mundo tinha do Nepal era dominada pelo Monte Everest e suas encostas, e pela coragem extraordinária de homens como Edmund Hillary, Tenzing Norgay Sherpa e seus herdeiros, que alcançaram o topo da montanha mais alta do mundo e conseguiram tocar o céu. Para muitos, o lendário Gorkhas e seus exibicionismos militares, lutando pelo império britânico e suas lendas de bravura lembravam as mais históricas batalhas dos séculos 19 e 20.

Recentemente, o Nepal tem novamente cativado a atenção do mundo com a tomada de posse do governo por uma coligação liderada por Maoistas, e com o desaparecimento do único reinado hindu do mundo. Sob essa nova liderança, o Nepal está tentando conseguir uma maior estabilidade e desenvolvimento econômico e recomeçar a construir janelas para o mundo os admirar. Agora é a hora de visitá-los. Não é que tínhamos esquecido do Nepal, mas poucos os visitaram na última década. Com o fim das hostilidades, a grande onda de trilhas está renascendo e o interesse em Buda, sobre sua terra natal e sua visão de mundo, está aumentando novamente. Mas, no momento, ainda não há uma grande multidão lá. A combinação única de montanhas e cultura, história, música e misticismo estão todos lá esperando por você.

  1. Planeje uma viagem longa. Quanto mais longa a viagem, melhor é para que você possa passear por alguns dos mais belos pontos do Himalaia e conhecer a vida de algumas tribos distantes. Há muitos lugares que oferecem uma topografia mágica, cada uma apresentando aldeias, fantasias e peças históricas únicas. E há diversas peregrinações para se fazer, especialmente para os budistas e hindus. Você pode se deleitar com a paisagem ou participar da vida rural de algumas das tribos mais ímpares daqueles vales.
  2. Prepare seus documentos. Você precisa ter um passaporte válido e um visto com fotografia recentes. Você pode fazer o download do formulário de pedido no site do governo ou obter uma cópia na sua companhia aérea antes do desembarque. Qualquer cidadão, exceto quem é da Índia, é obrigado a ter um visto. Se houver uma embaixada do Nepal perto de você, o melhor é obter seu visto antes da viagem. Isto irá diminuir o stress de entrar num país e ter que passar pela alfândega e imigração, ainda carregando sua bagagem. Embora você possa facilmente obter um visto no momento da entrada, vá direto para Katmandu, a capital do país. Lá você pode registrar sua estadia rapidamente em uma embaixada ou posto consular. E lá você pode conversar com outros turistas que estão voltando e conseguir uma visão melhor do que há para ser feito.
  3. Em Katmandu, fique perto do Thamel. Embora seja um produto do turismo de aventura, é tão cheio de restaurantes, lojas, agencias de turismo e turistas que você pode facilmente encontrar a informação que precisa para sua viagem. O melhor hotel da região, se você tiver a sorte de obter uma reserva, é chamado The Courtyard. Ele oferece o conforto de ótimas acomodações e alguns dos quartos foram elegantemente reformados com artigos de coleções locais. E o grande pátio em frente é um refúgio bem-vindo depois de horas de correria e agitação em Thamel. Lá há uma aconchegante biblioteca ao lado do bar onde você pode desfrutar de uma bebida, conhecer outros hóspedes e ler alguns dos livros bem escolhidos dos proprietários. É difícil acreditar que esta já foi uma casa Newari. Ainda em Katmandu, visite a Praça Durbar, assim como as em  Patan e Bhaktapur, e aprenda mais sobre um dos povos do Nepal, os Newaris, e sobre a vida, o artesanato e as artes tradicionais deles. No fim do dia, vá para a Thamel House e desfrute da comida, da música e da dança tradicional newari. Certifique-se de experimentar o vinho de arroz newari. Visite Bhaktapur, a poucos quilômetros de distância e veja outro local cultural, o templo Changu Naryan, um museu ao ar livre de pedras esculpidas. Ainda em Katmandu, visite outros locais culturais, como Swayambhunath e Bodhnath buddist stupas e Pashupatinath, o local hindu mais sagrado do Nepal. Outro grande patrimônio cultural local no Nepal é o Lumbini (fora de Katmandu), o local de nascimento do Buda.
  4. Faça uma caminhada. Você não tem que ser um fanático da malhação para fazer caminhadas curtas e fáceis, algumas das quais ficam apenas a uma hora ou duas de Katmandu e Pokhara. No entanto, muitas das trilhas mais populares levam pelo menos uma semana e a melhor época para se fazê-las é de outubro a maio. Há trilhas para todos os gostos. Mas lembre-se, mesmo quando adaptada as suas capacidades, uma caminhada dessas é cansativa e você estará a uma grande altitude, então moderar o passo é vital. Uma vez na trilha, você está a uma longa distancia de qualquer assistência médica. Certifique-se de ter um mapa, bússola, comida de emergência, roupas adequadas e equipamento para lidar com variações meteorológicas, e para os marinheiros de primeira viagem, um guia experiente e confiável. Um bom hotel como o The Courtyard pode indicar guias confiáveis. Na maioria das trilhas populares como a do Everest e de Annapurna, há teahouses (casas de chá) a cada uma hora ou duas de caminhada, que oferecem refeições e bebidas frias. Há carregadores para fazer o trabalho pesado, como carregar tendas e alimentos. Alem disso, os moradores das regiões perto das trilhas criaram diversas chautaras, plataformas sob pedras onde os caminhantes podem descansar os pés e dar uma respirada!
  5. Visite um dos patrimônios naturais do mundo no Nepal. Escolha os mais próximos do seu plano de trilhas. Há o Parque Nacional Sagamartha perto do Monte Everest e as selvas habitadas por tigres do Parque Nacional Royal Chitwan. Para os amantes das aves, vá para as várzeas e prados do rio Sapt Kosi, na Reserva Selvagem  Koshi Tappu. O telhado do mundo está fervendo de possibilidades de aventura, sendo a maioria delas acessível até para os viajantes menos ágeis.
  6. Experimente o rafting e canoagem. Com suas diversas topografias e clima subtropical, o Nepal oferece percursos de rios fantásticos, com enormes praias de areia branca para camping. A melhor época para visitar esses locais é de setembro até o começo de dezembro e de março ao início de junho. Consulte o manual de segurança e reserve viagens somente com agências experientes, qualificadas e bem equipadas. Como já foi dito, apenas seu hotel e caminhantes voltando das trilhas podem realmente ajudá-lo nisso. Você encontrará muitos deles andando pelo Thamel em Katmandu. Viagens pelos rios Sun Kosi e Karnali são os favoritos daqueles que querem aventura. A viagem no rio Sun Kosi (Rio do Ouro) é a mais longa oferecida no Nepal, cerca de 270 km. O Karnali é o rio mais longo e largo do Nepal: distante, com cachoeiras enormes e com algumas das mais bonitas paisagens de desfiladeiros e selvas. Você pode trazer seu próprio caiaque, a Qatar Airways é uma das companhias aéreas que reserva um espaço em seus aviões para isso.
  7. Faça Mountain Bike. As muitas trilhas do Nepal oferecem todos os tipos de aventura com bicicletas, desde trilhas fáceis em montanhas até trilhas insanas sobre rodas. Você pode facilmente trazer sua própria bicicleta como parte da bagagem, apenas verifique antes com sua companhia aérea. Certifique-se de trazer peças reservas, uma vez que estas poderão não estar disponíveis no local.
  8. Faça uma massagem nepalesa. Mas como já foi dito, se informe antes. Embora exista uma classe oficial de massageadores, alguns dos especialistas podem ter aprendido seu oficio treinando em bois yak chicoteados e em caminhantes cansados!
  9. Aprenda alguma coisa. Você pode se inscrever em cursos de yoga e meditação. Existem muitos centros que oferecem cursos dependendo do que você deseja. Em Pokhara, há centros ao redor do lago que oferecem diariamente sessões de 3 ou 6 dias. Ou você pode aprender a tocar sarangi, um instrumento de quatro cordas tocado com um arco, bem comum de se ver nas ruas de Thamel, ou o madal (tambor), basuri (flauta) e uma guitarra de quatro cordas, o arbaj. Ou vá a Patan e aprenda a pintar uma thangka ou esculpir no estilo newari.
  10. Vá às compras. O Nepal é um paraíso das compras, especialmente para pashmina e outros produtos de lã, esculturas newari em madeira, pinturas, bonecos, pérolas e jóias de prata, thangkas e outros artesanatos tibetanos.


Essas são apenas algumas das coisas que você pode fazer no Nepal. 15 dias é bem pouco tempo. Lembre-se, se pegássemos um ferro de passar roupa e passássemos o Nepal, ele seria do tamanho da Europa. Cada colina esconde uma nova aventura, dos 17 aos 70 anos, está tudo lá para você, barato, acessível e a sua espera.